Série: Travessia da Ponte 25 de Abril - (2/6) Preparar a travessia a pontapé....? Nada disso!

Upss! Qual a pontapé...! A língua portuguesa é uma língua muito traiçoeira e brincalhona! É claro que neste post retrato a preparação da travessia da ponte a pé! :)

(2004)
E curiosamente, a primeira iniciativa, que existiu em 1975, tinha realmente esta designação "A Ponte a Pé", dinamizada pelo Ginásio Clube Português. Porém, esta iniciativa de atravessar, precisamente, a Ponte 25 de Abril a pé, não vincou e deixou de se realizar...

(2004)

Este mega-evento de grandes proporções exige uma preparação e um planeamento muito atempado. A organização da prova está a cargo do Maratona Clube de Portugal, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa.

(2015)

Cá em casa, a organização cabe a nós! Assim, a primeira e grande prioridade que constitui um fator crítico, é realizarmos a inscrição! Sem inscrição, não há mini maratona. Assim, tivemos primeiro de pagar a nossa inscrição para garantir o nosso lugar na mini maratona, que se pode esgotar devido à grande afluência que este evento tem tido!

(2015)

Garantida a nossa inscrição, é só aguardar a data, na qual podemos levantar o nosso kit de participação. O que nos leva ao segundo momento crítico!

(2015)

Este momento constituiu também o primeiro momento alto da participação para os nossos filhos. Pois o kit contempla um elemento muitíssimo importante para nos sentirmos verdadeiros maratonistas, ou melhor, mini-maratonistas: o dorsal!

(2015)

No entanto, este é também um 2º momento crítico, pois se não conseguirmos levantar o kit, não temos dorsal, e sem dorsal não podemos participar! Ainda para mais, sabendo que não é possível o levantamento do dorsal no próprio dia da corrida!

(2005)

No dia da prova, existem várias barreiras de controlo, onde anualmente são sempre expulsos muitas pessoas sem  dorsal ou com dorsais falsos, ou seja, fotocopiados! Muitas vezes, apenas para não terem de pagar o valor da inscrição... Em ambas corridas eu não me apercebi de nada disto! Também não tinha intenção de me focar nesses aspetos, preferindo aproveitar ao máximo estes dias!
Assim, colocámos logo na agenda os dias previstas para este efeito, para nada falhar!

(2015)

Além, disso, recebemos também uma t-shirt, que nos permite vestir a camisola ,que é como quem diz, ajudar-nos a entrar no espírito da mini maratona, e representarmos um grupo unido em torno deste evento!

(2015)

Ninguém dispensou esse elemento integrador e de pertença a este grande evento desportivo lisboeta!

(2015)

Além destes elementos de destaque, o kit incluía também muitos folhetos publicitários às mais diversas marcas e conceitos ligados ao mundo do desporto e o saco da EDP.


Curiosidade: A EDP é há muito o grande patrocinador das provas da meia maratona, para no âmbito das suas políticas de responsabilidade social, incentivar um estilo de vida saudável, nomeadamente através da prática desportiva e claro, estar bem próximo dos seus clientes ou possíveis clientes... Aliás, a EDP tem sido name sponsor da meia maratona, o que significa, que o nome do evento integra o nome deste grupo empresarial - EDP Meia Maratona de Lisboa.

(2015)

Na minha modesta opinião, as t-shirts em 2015 estavam giríssimas e faziam alusão à comemoração dos 25 anos de existência da prova.

(2015)

A 1ª edição foi em 1991 e contou com 39.000 participantes! Impressionante! Existe uma história muito curiosa e engraçada associada à estreia desta meia maratona na ponte. Então, a nossa querida Rosa Mota foi convidada a participar e enfrentou um grande desafio! Correu de olhos fechados! Não se tratou de uma partida especial, nem tão pouco de um desafio oficial! Tratou-se antes da superação de um desafio pessoal! A Rosa Mota tem medo das alturas, e como técnica para ultrapassar os seus medos e poder marcar presença nesse momento histórico, correu os primeiros metros de olhos fechados! Eu, por acaso, sofro com vertigens, mas tal nunca me passou pela cabeça na travessia da ponte, talvez devido à largura do tabuleiro, não tive qualquer sensação de tontura!

(2015)

Ainda em relação à Rosa Mota, a mesma fez história, não por ter corrido de olhos fechados, mas por ter ganho a 1ª edição desta meia maratona sobre a Ponte 25 de Abril.
Fica ainda mais uma curiosidade: Rosa Mota é até à data a única portuguesa a conseguir vencer esta prova! Grande Rosa Mota! Não é por acaso, que Rosa Mota ganhou em 1988, a medalha de ouro, nos Jogos Olímpicos de Seul!
Ao contrário de Rosa Mota, o italiano Gelindo Bordin, igualmente vencedor da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Seul, não conseguiu vencer esta prova, tendo tido no entanto sempre boas prestações, em todas as edições nas quais participou.

(2015)

Depois de comprar o bilhete, levantar o kit... planear a logística da deslocação até ao local de partida.... preparar tudo...foi aguardar o dia do grande evento.

(2004)

Quando chegou o tão esperado dia, foi uma agitação, ou seja, começou logo a correria, uma verdadeira mini maratona caseira, para chegarmos a horas à verdadeira "corrida" do dia, a mini maratona de Lisboa!

(2015)

Foi um corrupio: preparar lanches, água não pode faltar; em cima da hora, procurar os alfinetes para fixar os dorsais; e a máquina fotográfica, onde para.... Finalmente, todos prontos e aproados para o evento, cheios de ansiedade e vontade de ir!

(2015)

E por falar em "vontade de ir" e "pontapé" mais um grande momento musical dos Xutos & Pontapés: Homem do Leme! :)


Entrar no carro, rumo a Lisboa, para vencermos o 1º desafio: chegar ao local de partida, de preferência a horas, para assistirmos e participarmos, é claro, à adrenalina do disparo da partida!

(2004)


Consulte as outras publicações da Série: Travessia da Ponte 25 de Abril (Mini Maratona):

↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝ Toca a zarpar!

A visitar nos arredores:

↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝ Toca a zarpar!

Para ler mais sobre o tema deste post, podem consultar as seguintes ligações externas de referência:

Comentários