Costa da Caparica - Praia da Saúde, a junção perfeita entre Cabanas dos Pescadores e a Prática da Arte Xávega

Fizémo-nos ao caminho, o nosso objetivo: a Praia da Saúde.


E lá fomos, caminhando ao longo do paredão, equipados com bonés e óculos de sol, e claro, o protector solar, em direcção a esta praia peculiar da Costa da Caparica.


A Praia da Saúde faz parte da extensa linha de vários km de praia, mais precisamente 15 km de praia, um sonho, que compõem a Costa da Caparica. Mas esta praia tem uns ingredientes especiais que a destacam das restantes... E quais são?


As antigas Cabanas dos Pescadores! São um mimo! Renovadas, de cara lavada, dão muita cor ao areal desta praia, compondo um quadro bastante pitoresco, que muitos não deixam escapar à sua objetiva fotográfica! O areal fica ladeado entre o vasto mar e as típicas cabanas de pescadores, que não se alinham de forma simétrica perfeita sobre a zona dunar perceptível, parecendo mais um rasto serpenteado.


Junta-se mais um ingrediente, a Arte Xávega, ainda no activo nesta praia, assim como as dezenas ou centenas de gaivotas, que não querem ficar fora da fotografia! Um cenário perfeito! Diferente das restantes praias da Costa, certamente... nem melhor, nem pior, diferente...


Para quem queira privar com os elementos da faina e os pescadores, bem como a sua arte, esta é a praia ideal! Pode-se esticar a toalha, rodeados por gaivotas, a aguardar o pescado... :)




Há quem compre aqui o seu jantar aos pescadores da terra...Mais fresquinho do que isto é impossível!

↪ Cerca de 10% do pescado é vendido ainda no areal aos veraneantes, seguindo o resto para a lota.

Talvez também por ser possível a prática da arte xávega (sem restrições de horário, penso eu, mas não sei...), esta praia não é vigiada, ao contrário da grande maioria das praias da costa...


Tratando-se de uma praia não vigiada, ainda mais cauteloso se deve ser, dando todo o respeito que o mar merece ter. A esmagadora maioria dos afogamentos acontece em praias não vigiadas. Todo o cuidado é pouco...
Segundo o Observatório do Afogamento, criado pela Federação Portuguesa de Nadadores Salvadores, foram contabilizados 61 mortes por afogamento entre os meses de maio e setembro de 2017. Em março deste ano, já eram contabilizadas mais 14 mortes desde o início do ano e ainda nem começou a época balnear em todas as praias. Temos de rever as nossas atitudes, para todos contribuirmos para eliminar estas mortes sem sentido nenhum...
Por favor, divirtam-se na praia, desfrutem do mar, mas sejam sempre cautelosos, não se arrisquem ao ponto de colocar a vossa vida e a dos outros em risco! Dêem um bom exemplo aos outros, e em particular aos mais novos, na relação de veraneante com o magnífico mar! Reforço o apelo: Nada de desafios patetas! Esqueçam a foto se pode ser arriscado! Cuidado com os locais escolhidos para fazer saltos espectaculares! Respeitem as regras e o nadador-salvador!


Ainda se lembram certamente do slogan publicitário de uma campanha de prevenção de afogamentos dos anos 80: "Há mar e mar, há ir e voltar". Esta frase foi definitivamente adoptada pelo povo português, que tanto se habitou a ouvi-la, passada de geração em geração, que muitos já a consideram genuinamente nossa, um verdadeiro provérbio popular português!
Acho fantástico, como um verso poético conseguiu tocar uma nação inteira...!
Há spots publicitários que permanecem muito frescos durante uns tempos, mas mesmo não sendo esquecidos, deixa-se de falar neles. Mas este slogan é sempre invocado nas épocas de veraneio. A autoria é do publicitário e poeta português Alexandre Manuel Vahia de Castro O'Neill de Bulhões, ou mais conhecido por, Alexandre O'Neill (19/12/1924 - 21/08/1986).
Obrigada Alexandre O´Neill por este verso, tão simples, tão português e tão eficaz! Os meus filhos também já o estão fartos de ouvir...
Porém, este lisboeta nem sempre foi muito consensual e bem entendido na sua ironia característica. Fundou, juntamente com Mário Cesariny, António Pedro e José-Augusto França, o Grupo Surrealisa de Lisboa. Foi por diversas vezes preso pela PIDE. Em 1981 venceu o Prémio do Centro Português da Associação Internacional de críticos literários, instituído em 1980.


E assim, temos todos os ingredientes reunidos para invocar um lindíssimo momento musical. A canção, Gaivota, cantada por Amália Rodrigues, texto da autoria, claro, de Alexandre O'Neill e música de Alain Oulman. Eu adoro! Recupero aqui um excerto

"
Se ao dizer adeus à vida
as aves todas do céu
me dessem na despedida
o teu olhar derradeiro,
esse olhar que era só teu,
amor que foste o primeiro
"
Maravilhoso, emocionante, cheio de sentimento e de amor, impactante,...

E o refrão, esta parte é a mais conhecida:
"
Que perfeito coração
no meu peito bateria,
meu amor na tua mão,
nessa mão onde cabia
perfeito o meu coração.
"
Para quem quiser ouvir, deixo um link para uma das versões disponíveis no youtube. E não consigo resistir a deixar-vos também esta ligação para a versão dos The Gift & Ana Moura, hmmm lindo, na parte final as duas vozes juntas, simplesmente poderoso, uauu......mais uma entre muitas e merecidas homenagens à nossa grande e sempre Amália...

Voltando ao tema deste post propriamente dito... :)   Hoje em dia, estas lindas cabanas podem ser consideradas habitação de veraneante, já que na época festiva, são maioritariamente ocupadas por turistas, que gostam de estar literalmente junto ao mar... Candidatos para poderem usufruir destas casas típicas durante as férias não devem faltar... Um belo nicho de mercado... há que ter olho... os meus filhos então, iriam adorar esta oportunidade... na visão deles deve-lhes parecer casas de brincar... :)


É uma forma interessante de preservar o património local, perpetuando-se para o futuro... Estas cabanas podem ser admiradas, e a história ligada a esta vila piscatória não ser esquecida com estes exemplos reais a salpicar e a embelezar a entrada do areal. O contrário do que sucedeu aos bem típicos Meia-Luas (Costa da Caparica - Fotos à volta da Lota e o Meia-Lua que em terra ninguém aprecia...)... Porém, também já existiram muitas mais cabanas do que existem atualmente...


É curioso, como cada cabana consegue ter um charme próprio, distinguindo-se todas, umas das outras, por um ou outro detalhe...









Também é muito frequentada pelos campistas, visto aqui estar localizado o Parque de Campismo do Concelho de Almada, possibilitando um acesso direto à praia.



Também junto a esta praia está instalado, pelo menos por enquanto, o terminal do Transpraia, o velhinho comboio de praia que cumpre ainda bastante bem os seus compromissos...



Quando o mítico comboiozinho passa junto a estas carismáticas Cabanas de Pescadores, é difícil não encontrar alguém a tentar captar estas belas imagens de arquitectura balnear...


E já vos falei nas gaivotas....? :)






↪Não, a foto não tem problemas... E, sim, trata-se realmente de um bando de gaivotas em pleno voo...!

Com tanta gaivota não é de estranhar os testemunhos das suas passagens....

Porém, não nos deparámos só com este tipo de testemunhos....A Sara bem se manteve atenta, porque por aqui também vimos alguns testemunhos deste tipo...




Alforrecas! Águas-vivas! Em 2012 houve praias da Costa da Caparica interditas ao banho, devido a um invulgar número de alforrecas no mar. Há que ter algum cuidado...

Falando agora de coisas mais agradáveis, que inevitavelmente passa por comida, há ainda a referir que o restaurante desta praia é o Golfinho, desde 1981


Pelos vistos também tem serviços disponíveis para os surfistas...


Aqui o lema é: gaivotas em terra, surfistas no mar! :)


Efetivamente, ainda não me tinha referido aos que praticam surf, boadyboard, ou mesmo paddle. Existem aqui também boas condições para a prática destas atividades... E todos se dão bem... Aprenderam a partilhar este belíssimo espaço... :)





Trata-se realmente de um local muito frequentado pelos mais diversos motivos...


Definitivamente, trata-se de uma praia de vários encontros....talvez também de desencontros... :)

Entretanto, não deixem de visitar este postCosta da Caparica - Praias para todos os gostos e feitios...

Para descobrir mais informações sobre a Arte Xávega podem ler o post Costa da Caparica - Arte Xávega. Sobre as embarcações típicas caparicanas, o Meia-Lua, encontram mais informações no post Costa da Caparica - Fotos à volta da Lota e o Meia-Lua que em terra ninguém aprecia...


Já agora, aproveitem e consultem >>>> Costa da Caparica - A não perder...

A visitar nos arredores:


    ↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝ Toca a zarpar!

    Para ler mais sobre o tema deste post, podem consultar as seguintes ligações externas de referência:
    Sobre alforrecas e principalmente sobre caravelas-portuguesas deixo-vos as seguintes ligações externas. Mas podem também aceder ao Portal da Saúde e pesquisar por alforrecas, encontrando informações interessantes.



    Comentários