>>>> Visita Flash a Cáceres, Extremadura, Espanha

No último dia de férias da Páscoa, passadas este ano em Mérida, fomos almoçar  a Cáceres, aproveitando para conhecer o famoso centro histórico desta cidade.
Ao fim de séculos de luta, a cidade foi conquistada aos mouros, pelo rei cristão D. Afonso IX do reino de Leão no dia 23 de abril de 1229, dia de São Jorge, sendo por isso o santo padroeiro da cidade. As suas origens de fundação remontam ao século 34 a.C. pelos romanos, designada na altura por Norba Caesarina.

Quando chegamos a Cáceres, depois de nem uma hora de viagem de carro desde Mérida, apercebemo-nos logo que se trata de uma cidade bem maior do que Mérida. Efetivamente, é uma das cidades mais povoadas desta província com o mesmo nome. Além disso, Cáceres é o município mais extenso de Espanha.
↪ A Praça de Touros de Cáceres data do ano 1846, sendo uma das mais antigas de Espanha, tendo uma capacidade para 7 mil espectadores. Na foto, a segunda placa amarela à direita (de difícil, diria até, de impossível leitura nesta foto) dá as indicações para o restaurante Atrio, o único na Extremadura com duas estrelas Michelin.

Seguimos a placa para o centro da cidade, encontrando logo de seguida uma placa para a cidade monumental. Com o tempo de visita limitado, optámos por deixar o carro num parque próximo do centro histórico indicado pelo GPS, Parking Galarza, tendo-se revelado uma boa decisão.








Depois de termos estacionado o carro, fomos a pé à procura do acesso à parte histórica. Avistámos, apesar ainda de longe, a parte da cidade que nos movia a visitar Cáceres.

Entrámos numa zona comercial junto à Plaza Mayor.
↪ A Torta del Casar, com origens em Casar de Cáceres que fica a 11 km de Cáceres, é típica desta província da Extremadura.
↪ A Torta del Casar e a perna do jamon ibérico são as jóias da gastronomia da Extremadura.


A Calle Gran Via levou-nos até ao nosso ponto de partida pretendido: a Plaza Mayor.
















E aqui está ela, a Plaza Mayor:

Mas antes de entrarmos noutra dimensão, tínhamos primeiro de recarregar as energias com um belo e último almoço em Espanha.
Porém, olhando à nossa volta, a grande maioria dos restaurantes na praça ofereciam menus por 12 ou até 20 euros... ora, fazendo as contas, para nós os 4 o almoço ficaria facilmente pelos 80 euros... como era demasiado para a nossa carteira, consultámos o TripAdvisor e encontrámos um local muito, mas mesmo muito simpático, para ter um almoço à altura da despedida, próximo da Plaza Mayor: Tapería La Tía Tula. 

Sobre esta nossa experiência, consultem também Cáceres - Está na hora do almoço à espanhola


Satisfeitos com a boa experiência gastronómica vivida, retomámos o nosso grande objetivo, e lá espreitava ela, a Plaza Mayor, entre tons brancos e dourados, pronta para nos receber novamente...
Sem dúvida, a própria praça tem muito para nós absorvermos, tanto ao nível histórico, como arquitectónico, monumental ou simplesmente para iniciar esta viagem ao mundo medieval. Por aqui já se fixaram os romanos, os mouros e os cristãos, aproveitando cada um a herança dos anteriores para construir por cima, melhorando ou ampliando os espaços deixados pelos seus antecessores.

Quando atravessámos o Arco da Estrela, sentimo-nos como que transportados por uma máquina do tempo que aterrou na época medieval, separando-nos as muralhas desta parte da cidade do resto do mundo, iniciando a descoberta deste tesouro bem guardado pelos cacerenhos.

Este complexo compacto de casarios, palácios, torres, praças e igrejas de arquitectura medieval, que aparenta ainda respirar vida, chegou até aos nossos dias muitíssimo bem conservado. Facilmente se percorre este núcleo histórico a pé. Entre raios de sol e chuvisco, fomos descobrindo a beleza arquitectónica desta cidade. Ainda não tínhamos saído de uma praça, já outra nos chamava. Ainda fascinados numa ruela, já outra nos piscava o olho para a visitarmos.

Trata-se de um espaço onde tudo está muito próximo, um autêntico chamariz para quem gosta de apreciar e observar, sempre irrequieto, porque há tanto para explorar... tanta coisa para ver. Nem conseguíamos estar concentrados, porque encontrávamos-nos num sítio, mas muitos outros espreitavam, aguçando a nossa curiosidade de os conhecer... simplesmente maravilhoso... tanto pormenor, tantos detalhes, com certeza, a maioria ficou por descobrir...
↪ Números de portas para identificar edifícios numa zona? Que impessoal! Aqui reinam os escudos e os brasões nas fachadas! Brasões e mais brasões. Com certeza não existiam dificuldades em encontrar as residências das famílias pretendidas... Existem imensos escudos e brasões nas fachadas para informar as famílias proprietárias dos respetivos palácios. Penso que ainda não tinha visto tantos brasões a decorar as fachadas, parecendo-se quase um desafio ao vizinho do lado, um concurso do melhor, do mais bonito, do mais bem conservado, do maior do local...
  


Como já referi, tivemos raios de sol a intercalar com chuvisco e lá tivemos nós problemas na captação da foto perfeita, pois muitas ficaram manchadas com as gotinhas que teimavam em cair em Cáceres em cima da lente...ou então, para que sirva de prova que realmente pingou...


Estes autênticos cenários monumentais retirados de um filme medieval levaram-nos a fantasiar com histórias românticas, dramáticas e rotineiras nestas ruelas que estavam nessa tarde do nosso passeio pouco movimentadas.

Tanto assim o é, que até a série televisiva de maior sucesso de sempre, fez precisamente em Cáceres e arredores, muitas filmagens para a sua sétima temporada. Sim, estou-me a referir à série televisiva dramática norte-americana Game of Thrones (Guerra dos Trones) dos criadores David Benioff e D. B. Weiss, baseado na saga de fantasia épica medieval A song of Ice and Fire, de George R. R. Martin.
Já lá se vão 7 anos desde que a primeira temporada se estreou em abril de 2011. Aguarda-se a oitava e última temporada para 2019 para descobrir qual das famílias de Westeros ganhará a luta pelo Trono de Ferro.
À conta destas filmagens já se pratica turismo temático, em particular, cinematográfico, havendo já pacotes a oferecer uma visita aos cenários do filme. Mas não se pense que se trata de uma estreia, pois Cáceres é local de gravações. Outro exemplo mais antigo, foi do filme 1492: Conquest of Paradise, dos anos 90, dirigido por Ridley Scott, onde Gérard Depardieu fazia de Cristóvão Colombo. Um exemplo de outra série televisiva de enorme sucesso, desta vez espanhola, é "Isabel, a rainha católica" para a TVE. Neste caso, é uma biografia sobre a vida e o reinado da rainha Isabel, que evidentemente tinha de ter filmagens aqui em Cáceres.

Já agora, alguns apontamentos sobre Isabel I de Castela, a Católica que ajudam a entender um pouco também da história ligada a Cáceres e a Guadalupe (que também visitámos nestas férias):
  • Filha de D. João II de Castela e Isabel de Portugal (Isabel de Avis);
  • Viveu entre 22 de abril de 1451 e 26 de novembro de 1504;
  • Em 1453 nasce o seu irmão Afonso, mas também já tinha um irmão paterno, Henrique;
  • Henrique subiu ao trono, depois da morte do seu pai, tornando-se Henrique IV, o Impotente;
  • Em 1468 foi declarada herdeira do trono pelo seu meio-irmão Henrique;
  • Contra a vontade de Henrique IV, casou-se a 19 de outubro de 1469 com o seu primo de 2º grau, o príncipe Fernando de Aragão, rei da Sicília e príncipe de Gerona;
  • Foi deserdada por Henrique, declarando o mesmo a sua filha Joana de Castela (Joana, a Beltraneja, filha ilegítima) como sucessora ao trono;
  • D. Henrique acabou por restituir a Isabel os direitos ao trono com a ajuda de muitos da classe nobreza;
  • Proclama-se rainha a 13 de dezembro de 1474 em Segóvia (também já lá estivemos quando fomos de férias a Madrid, aconselhamos... também um dia hei-de publicar as nossas experiências desta viagem), mas teve de lutar na Guerra de Sucessão Castelhana, promovida pela sua sobrinha Joana de Castela que foi apoiada pelo rei Afonso V de Portugal com quem Isabel anteriormente já se tinha recusado casar; Joana foi vencida e foi condenada ao exílio em Portugal; 
  • Quando o seu marido, D. Fernando se torna rei de Aragão, torna-se possível a unificação dos dois reinos de Castela e de Aragão, formando-se a Espanha;
  • Realizou muitas reformas, como por exemplo, diminuiu em muito o nível de criminalidade, assim como, diminuiu a dívida do reino;
  • Em 1494 assinou o Tratado de Tordesilhas com Portugal;
  • Receberam o título da Santa Sé de "Reis Católicos" a 19 de dezembro de 1496, por terem, por exemplo, reconquistado terras muçulmanas, tendo participado na Guerra de Granada, e terem expulso os judeus que não se converteram através do Decreto de Alhambra. Este título foi herdado pelos seus descendentes, pertencente ainda hoje aos atuais reis de Espanha;
  • Prestou apoio incondicional aos projetos de Cristóvão Colombo;
  • O seu reinado durou até à sua morte.
Voltando a Cáceres, o seu centro histórico faz parte do Património da Humanidade da UNESCO desde 1986, além de ter sido considerado o terceiro Conjunto Monumental Europeu já em 1968, ocupando os primeiros dois lugares Praga e Talim.

A nossa visita coincidiu com a hora da siesta... ou seja os vários museus e outros espaços visitáveis só abriam por volta das 16h30/17h00. Infelizmente, como era o nosso dia de regresso a Portugal, tínhamos de abalar por essas horas, pois o André ia trabalhar no dia seguinte. Desta forma, limitámo-nos a conhecer a riqueza arquitectónica exterior deste belíssimo centro histórico, não tendo tido oportunidade de visitar os vários locais existentes.
Cáceres merecia pelo menos um dia inteiro de visita, penso que o ideal para nós até tinham sido 2 dias de visita para podermos contemplar, explorar, mergulhar na história desta linda cidade histórica. Mas como o tempo não estica, e fizemos a nossa opção de ficar uns dias por Mérida, que também valeu muito a pena, estou muito contente por termos tido ainda assim, esta oportunidade de visita flash.

Para conhecer Cáceres, sugerimos os 4 um programa composto por 3 partes:

Parte 1 - Ponto de Partida para a Exploração da Cidade Monumental - Plaza Mayor
  • Plaza Mayor;
  • Torre de Bujaco (visitável);
  • Capela da Paz;
  • Arco da Estrela;
  • Torre dos Púlpitos;
  • Torre da Erva;
  • Fórum dos Balbos.
Parte 2 - Exploração de Cáceres Dentro das Muralhas - Núcleo Histórico
  • Explorar o labirinto de ruas e ruelas (ver fotos);
  • Descobrir algumas curiosidades associadas às casas e aos palácios das famílias cacerenhas deste núcleo monumental
    • A trágica lenda da Casa del Mono (mais info);
    • Palácios dos Golfinhos de Abajo e de Arriba (mais info);
    • As histórias da Torre Redonda do Palácio Carvajal e a maldição dos irmãos Carvajal (mais info);
    • As belas fachadas das casas vizinhas, Casa del Sol e Casa del Águila, e outras curiosidades... (mais info);
    • Palácio de Toledo-Moctezuma;
    • Casa-Museu Árabe Yusuf Al Burch (visitável), na Cuesta del Marqués.
  • Praça de Santa Maria
    • Concatedral de Santa Maria;
    • Palácio do Carvajal (mais info);
    • Palácio Episcopal;
    • Palácio de Mayoralgo, cujo brasão é um dos mais antigos;
    • Palácio Hernando de Ovando que pertenceu a uma das famílias mais importantes de Cáceres.
  • Praça de São Jorge (mais info)
    • Igreja de São Francisco Xavier, cuja cripta é o Centro de Interpretação da Semana Santa;
    • Estátua de bronze de São Jorge e o dragão;
    • Casa Palácio de los Becerra, onde se encontra instalada a Sede da Fundação Mercedes Calles-Carlos Ballestro (visitável).
  • Praça de los Golfines (mais info)
    • Palácio dos Golfinhos de Abajo que serviu de alojamento aos reis católicos durante as suas estadias em Cáceres.
  • Praças de San Mateo, de San Pablo e de Las Valetas formam um espaço único
    • Igreja de São Mateus, construída sobre restos da mesquita árabe;
    • Palácio dos Veletas, atual Museu Arqueológico Provincial de Cáceres no qual existe uma Cisterna do período muçulmano que ainda recolhe a água da chuva, sendo um dos mais bem preservados de Espanha;
    • Palácio das Cegonhas (Palácio de Cáceres Ovando) do qual se destaca a sua Torre;
    • Convento de San Pablo;
    • Casa do Sol (mais info);
    • Torre de Sande.
  • Bairro da Judiaria.
Parte 3 - Exploração de Cáceres Fora das Muralhas
  • Avenida de Espanha (Paseo de Cánovas);
  • Praça de São João com a Igreja de São João Batista;
  • Igreja de Santiago de los Cabelleros;
  • Palácio Godoy;
  • Caverna Maltravieso, na qual foram descobertas restos e pinturas do Paleolítico Superior.
Também aconselhamos conhecer na província de Cáceres:
  • Guadalupe;
  • Trujillo;
  • Parque nacional de Monfrague;
  • Plasencia que nunca foi ocupada pelos romanos, nem pelos mouros;
  • Valencia de Alcantara;
  • La Vera, Mosteiro de Yuste;
  • Malpartida de Cáceres, onde se encontra o Parque Natural de Los Barruecos, formação rochosa utilizada nas filmagens da Guerra dos Tronos, assim como o Museu Vostell.
Fora da provínicia de Cáceres, mas ainda na Extremadura, aconselhamos:
  • Mérida, o nosso destino de férias nesta Páscoa;
  • Badajoz;
  • Zafra.
P.S. Apesar de ainda não ter publicado tudo sobre as férias de Verão do ano passado, estava cheia de vontade de partilhar as vivências destas férias da Páscoa passadas em Espanha e com as memórias ainda muito frescas. Desta forma, vou intercalando os posts entre estas duas viagens.



↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝ Toca a zarpar!

Se tiverem também curiosidade sobre a nossa experiência por estradas espanholas, faço-vos o convite de visitarem também os nossos artigos:

↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝ Toca a zarpar!



Comentários