Costa da Caparica - À descoberta do paradeiro do mítico Transpraia


Sendo o Transpraia um símbolo da Costa da Caparica, assim como um atrativo turístico e não só, estava nos nossos planos proporcionar-nos uma viagem no mítico comboio tradicional de praia.


Comboio de bancos de madeira corridos, sem portas, nem janelas, permite sentir a brisa a bater na cara, o cabelo ao vento, deslocando-se a uma velocidade de passeio. Nós íamos recordar tempos passados e para os nossos filhos seriam as suas viagens de batismo.


Porém, encontrar o Transpraia revelou-se um grande desafio, obstáculo a ser ultrapassado! Sabíamos onde era o ponto de partida antigamente, bem no centro da Costa da Caparica, mas deixou de o ser. Ainda perguntámos a algumas pessoas, mas ninguém sabia do paradeiro deste, antigamente, famoso e popular mini-comboio. Passou-nos pela cabeça, que eventualmente tivesse sido desativado. Mas felizmente, nada disso!

Depois de umas pesquisas, descobrimos que no âmbito do Programa Polis, o Transpraia fora deslocado para a Praia Nova em 2007, bem afastado do centro da cidade... Pensei para comigo: Porquê...?

Ir a pé até lá, principalmente na hora do calor, é desaconselhado, já que o percurso do centro até ao terminal ainda é extenso. Apesar da alegria à chegada, de poder estar finalmente ao pé do tão desejado mini-comboio do sítio com tecnologia de ponta (estou a ser irónica...), fiquei um pouco desiludida pelo espaço circundante não estar cuidado, revelando muitas marcas de falta de manutenção.


Pela deslocação para fora do centro e pela falta de manutenção, é notório que o Transpraia deixou de ser uma aposta. Pessoalmente, não me faz sentido nenhum! Deveria ser uma bandeira local! É claro que ao terem afastado o Transpraia do centro, o mesmo perdeu muita clientela. Há com certeza muitos que nem sabem da existência do mesmo, porque até nós sabendo da sua existência, por pouco não lhe descobríamos o esconderijo.

↪ Linhas que antigamente seguiam até ao centro da cidade da Costa da Caparica, restando agora apenas as memórias gloriosas do Transpraia desses tempos áureos da linha férrea de praia...

Além de estar afastado, longe de possíveis olhares interessados em fazer uma viagem ao longo da costa, não há sinalética alguma a informar do Transpraia! Penso que a Costa da Caparica e os veraneantes ficam todos a perder!

Desabafos à parte, aqui estavam elas, as grandes locomotivas a gasóleo (ser a gasóleo é a parte menos positiva, quem sabe se um dia não poderá surgir uma versão mais ecológica): uma de cor azul, alusiva ao céu e ao mar, e a outra amarela, a fazer jus ao sol da Caparica.
Sem o apetrechamento tecnológico dos dias atuais, continuam a ser capazes de puxarem as carruagens com os seus passageiros. Esses, ávidos de uma experiência de outros tempos, longe da sofisticação, da velocidade e eventualmente de algumas normas de segurança (mas isso efetivamente não sei),  mantendo tudo muito manual e mecânico! E por falar em segurança, acidentes mais prováveis a acontecerem, no meu ver, serão os ligados aos descarrilamentos...
No meio de alegrias e desilusões, preparava-se a próxima surpresa negativa: o preço de uma viagem de ida e volta.

Tivemos de pagar 8 euros por adulto e 4 euros por criança, fazendo as contas, esta experiência custou 24 euros... não dá para fazer todos os dias... ficando muito mais barato aceder às outras praias de carro!

Claramente, o Transpraia deixou de prestar um serviço público de ligação às praias mais remotas, devendo ser encarado como um exclusivo passeio turístico, muito agradável e belo, por sinal! Porém, os preços não me espantam, com uma descida drástica da procura pelos veraneantes e tratando-se de um serviço sazonal entre junho e setembro, tem de haver financiamento para a sustentabilidade deste projeto histórico e emblemático da Costa da Caparica.

Proponho por isso a mudança de nome, não se devendo chamar mais Transpraia (transporte público de praia), mas sim Transturispraia (transporte turístico de praia)! Estou a brincar com as palavras, agora falando a sério: Transpraia - Transportes Recreativos da Praia do Sol, lda é o nome da empresa que operacionaliza as viagens nestes comboios desde 1960. Façam as contas, já lá vão mais de 50 anos, ameaçando, desde a implementação do Programa Polis, a chegada do fim destas viagens. Soa um pouco contraditório...Bem, adiante!


O percurso neste belíssimo mini-comboio atravessa uma linha de 19 praias desde a Costa da Caparica, ou melhor da Praia Nova, até à Fonte da Telha, considerando-se 2 zonas tarifárias para o efeito, ficando as viagens da 1ª zona ligeiramente mais baratas. A 1ª zona tarifária entre a Costa da Caparica e a Praia da Riviera coincide com o primeiro troço disponibilizado à população em 1960. A 2ª zona tarifária, entre a Praia da Riviera e a Fonte da Telha, corresponde ao troço inaugurado em 1963, ou seja, 3 anos depois do início do funcionamento do Transpraia. E assim se manteve até aos dias de hoje, retirando o pormenor do seu terminal ter sido deslocado cerca de 1 km, longe do centro, da zona mais frequentada.

O percurso não chega a demorar 30 minutos, percorrendo um total de 9 km.
O projeto inicial previa um percurso de 20 km, fazendo a ligação entre a Costa da Caparica até às praias do Cabo Espichel, ambicioso e interessante, no entanto, nunca veio a ser concretizado. Eu tinha todo o gosto de experimentar esse percurso projetado...

Esta viagem no Transpraia ainda não terminou, publicando mais em breve!


Por enquanto, partilho aqui o momento de partida de um minicomboio. :)

↪Tantas dúvidas, tantas curiosidades, e os entendidos do sítio a tentarem a dar o seu melhor para satisfazer as hostes! :) E já agora, o que acharam daquela aceleração?! Já reparam naquela velocidade estonteante? Bem, o meu filho nem se apercebeu... :)

Publicámos também os seguintes posts sobre o Transpraia:



Já agora, aproveitem e consultem >>>> Costa da Caparica - A não perder...

A visitar nos arredores:

↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝ Toca a zarpar!

Para ler mais sobre o tema deste post, podem consultar as seguintes ligações externas de referência:

Comentários