>>>> Cova do Vapor, Trafaria - A não perder...

Cova do Vapor é uma vila da Trafaria, onde "o Tejo se faz ao mar"!
Pode-se considerar por isso que na 1ª praia da linha da Costa da Caparica, ou seja, na praia da Cova do Vapor, localizada entre o rio Tejo e o primeiro esporão, tanto se está a tomar "banho" na água do rio Tejo como na água do mar.
A 2ª praia da Cova da Vapor, a praia do Albatroz, situada do outro lado do esporão, tornou-se bastante conhecida pelas suas ondas para praticar bodyboard ou surf, tendo sido despoletado para a fama por ter tido o privilégio de ter um documentário em sua honra, intitulado sugestivamente "Mar da Calha", produzido pela Red Bull, que tem tido muito eco pela Europa fora.

Cova do Vapor é uma antiga vila piscatória com um traço muito próprio, não passando despercebido a ninguém alguns nomes de ruas, escolhidos pelos próprios moradores, tão curiosos ou até familiares como....

A sua origem data dos anos 30 do século passado, quando as famílias oriundas da antiga Lisboa-Praia, tiveram de abandonar esse local por o mar ter galgado as margens, tendo transportado as suas casas com a ajuda de juntas de bois, enterrando as estacas das casas na Cova do Vapor.
Lisboa-Praia acabou por desaparecer com a subida do mar. Lisboa-Praia foi explorada como estância balnear para fazer face à sobrelotada Praia do Sol (Praia da Costa da Caparica), onde principalmente os Lisboetas se amontoavam devido à falta de espaço nessa praia, causada pela enorme procura, tornando-se Lisboa-Praia uma estância balnear muito frequentada pela classe da burguesia lisboeta.

O nome "Cova do Vapor" tem origem neste contexto histórico, pois os veraneantes de Lisboa vinham de ferry "O Vapor" até Lisboa-Praia.

Além das casas típicas de madeira, encontram-se agora sobretudo casas de cimento, revelando algumas muita dedicação na ornamentação das mesmas (sabendo que os gostos não se discutem...)
Outro edifício junto à praia que não passa despercebido é o Bar da Associação dos Moradores. A sua esplanada que durante o dia não apresentava nenhum movimento, deve à noite ganhar outra vida...
As ruas ou avenidas fazem jus ao local, sendo algumas invadidas pelas areias do areal da praia.

A mensagem de boas-vindas retrata um pouco do que se pode esperar na Cova do Vapor.
Observando melhor a imagem, os elementos que caracterizam esta povoação são efetivamente as duas praias, separadas pelo esporão que parece encaminhar-nos até ao Farol do Bugio, que noutros tempos já teve ligação direta através de uma restinga. A embarcação remete-nos para as origens de vila piscatória e para o porto de abrigo logo à entrada da Cova do Vapor. E por fim o sol, que neste local tem um brilho diferente.

No entanto, não posso terminar esta mensagem sem referir a conhecida Padaria Panicova e as suas especialidades da casa, das quais destacamos a bebida típica o "Cai Bem", feita com base em ginjinha, gasosa e hortelã (tendo sido a hortelã substituída por sumo de limão), o pão com chouriço, a afamada bola de Berlim (esta, infelizmente, acabámos por não provar) e os pasteis de nata sem ovos. Ir à Cova do Vapor e não ir à Padaria Panicova é como ir a Roma e não ver o Papa.
↪É nesta rua, onde se concentra um aglomerado de pessoas, que se situa a Padaria Panicova.
Vai um Cai Bem?


Chegou então a altura de divulgar a lista "A não perder na Cova do Vapor" sugerida pelos 4:
  • Apreciar os surfistas e os praticantes de bodyboard nas ondas especiais do Mar da Calha na praia do Albatroz;
  • Passar um tempo na praia da Cova do Vapor onde a água do mar se une com a água do rio;
  • Avistar o Farol do Bugio (mais info);
  • Ir à Padaria Panicova e beber um Cai Bem, comer um pão com chouriço e uma bola de Berlim;
  • Passear pelas ruas e descobrir nomes curiosos de ruas e casas peculiares;
  • Apreciar o pequeno porto de abrigo da Cova do Vapor.

A visitar nos arredores:

↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝↝ Toca a zarpar!

Comentários